domingo ,27 setembro 2020
Home / Vereadores / PMN / Fabrício Gama / Vereador homenageia Dia Mundial de Luta contra a Aids

Vereador homenageia Dia Mundial de Luta contra a Aids

Evento em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids homenageou personalidades e entidades da área de saúde.

Um evento realizado pelo mandato do vereador Fabrício Gama (PMN) na manhã desta sexta-feira,6, lembrou o Dia Mundial de Luta contra a Aids, transcorrido em 1º de dezembro. O encontro reuniu representantes de entidades e movimentos sociais envolvidos no combate à disseminação do vírus HIV.

Para Fabrício Gama o debate sobre o assunto deve ser contínuo.    “Apesar de todas as campanhas, todos os eventos de incentivo aos cuidados e prevenção à Aids, infelizmente os dados divulgados pelo Ministério da Saúde mostram que ainda é muito grande a incidência da doença no nosso estado e no nosso município”, comentou.

Em palestra proferida ao público presente o biólogo e hematologista Filipe Silva destacou a importância de informações especializadas sobre o tema, para maior esclarecimento da sociedade. ” Na minha experiência de 17 anos como educador na área de saúde posso afirmar que quando falamos sobre ISTs e Aids é fundamental ouvir profissionais abalizados para que as orientações cheguem de forma eficaz às pessoas. Exemplo disso é a classificação que se faz em grupos de risco para a doença. Isso só ajuda a estigmatizar as pessoas. O que existe são comportamentos de risco”, explicou.

A alta incidência de Aids entre os jovens  é, na avaliação do secretário da Executiva nacional de Jovens Convivendo com o HIV, Marcos Mendes, o fato mais grave em relação à doença. “A juventude está morrendo de HIV-Aids, mais pela sociedade do que propriamente pela doença. O jovem não fala, não informa, não procura ajuda porque prefere esconder o problema a enfrentar a discriminação. Isso acontece também com a comunidade LGBT, ainda muito estigmatizada. E isso desde a década de 80, quando a Aids passou a ser conhecida como a peste gay”.

O Pará é o segundo estado em número de mortes e pessoas infectadas pelo HIV no Brasil. “Quem sente muito mais a epidemia de Aids somos nós, os profissionais de saúde, que lidamos diariamente com o atendimento a essas pessoas. É verdade que o número de jovens infectados está crescendo e é preciso nos perguntarmos por quê isso está acontecendo”, declarou a médica infectologista,Helena Brígido.  Também em epidemia de Aids falou a representante do Grupo de Mulheres Prostitutas do Estado do Pará (Gempac), Amélia Garcia. ” A epidemia de Aids não para e pode chegar à casa de qualquer um. Quero aqui agradecer a esta casa que abriu esse espaço de fala para este debate e faço um apelo para que todos nessa Câmara Municipal façam uma campanha mais efetiva para conter o avanço dessa doença em Belém”.

Vereador Fabrício Gama defende campanhas de prevenção mais pedagógicas em Belém.

O coordenador da Referência Técnica de Infecções Sexualmente Transmissíveis, HIV/AIDS e Hepatites Virais da Sesma, Reginaldo Júnior, ressaltou a importância da integração entre a gestão municipal, o Legislativo e os movimentos sociais para o melhor atendimento às pessoas  que hoje vivem com o HIV/ Aids. “O município tem trabalhado de forma bem responsável na implementação de ações de prevenção e controle da Aids. Hoje vivemos um novo cenário na política de assistência à saúde das pessoas infectadas com o HIV. E é disso que elas precisam, de mais atenção, mais amor. Estamos juntos nessa luta”, ressaltou.

Também se pronunciaram durante o evento a presidente da Comissão de Saúde da OAB-Pará, Lilian Leal Garcia, o coordenador de Diversidade Sexual de Belém, Cledson Sampaio, e a promotora de Justiça dos Direitos Constitucionais e Humanos, Suely Catete.

O último relatório epidemiológico do Ministério da Saúde coloca Belém na quarta posição entre as capitais com maior número de casos de Aids registrados no país. Segundo o vereador Fabrício Gama isso é alarmante, principalmente quando se sabe que grande parte dos casos é de jovens contaminados pelo HIV. “Infelizmente temos que admitir que não é por falta de informação que o jovem adquire a doença. Ele tem a informação, mas não absorve essa informação. Ele se preocupa muito mais com os rótulos e que com a discriminação,É isso que nós precisamos combater”, afirmou Fabrício. Ele também propôs às entidades presentes que as campanhas de prevenção ao HIV, hepatites virais, sífilis e outras doenças, tenham sempre uma dimensão pedagógica, para que de fato a mensagem tenha maior alcance e seja efetivamente assimilada pelos públicos-alvo.

Ao final do encontro o vereador homenageou com a entrega de certificados várias personalidades da área de saúde engajadas nas ações de prevenção e combate à Aids no município.

Você pode Gostar de:

Câmara aprova projetos em bloco

Plenário durante a sessão desta terça-feira, 22. Na manhã desta terça-feira, 22, a Câmara Municipal …

Skip to content