sábado ,11 julho 2020
Home / Vereadores / DC / Vereadores aprovam amplo debate sobre a cessão de uso do Complexo de São Brás

Vereadores aprovam amplo debate sobre a cessão de uso do Complexo de São Brás

Sessão especial vai esclarecer todas as dúvidas sobre o processo de cessão de uso do Complexo de São Brás. Foto: Oswaldo Forte/Agência Belém.

A cessão de direito de uso do Complexo do mercado de São Brás para a iniciativa privada, conforme edital divulgado pela Prefeitura de Belém, vai ser debatida amplamente com trabalhadores desse espaço público, autoridades municipais e sociedade civil organizada reunidos em sessão especial de autoria do vereador Mauro Freitas (DC), em data a ser definida. O requerimento do presidente da casa, aprovado por unanimidade,  foi subscrito pela maioria dos 22 vereadores presentes na sessão ordinária desta segunda-feira,2, na Câmara Municipal de Belém.

Ao pedir o apoio dos demais vereadores para a sua proposta o vereador Mauro Freitas fez referência ao requerimento de teor similar proposto pela vereadora Nazaré Lima (PSOL) na semana passada e que não teve a aprovação do plenário. “Não podemos politizar determinados assuntos. Mas não tem jeito.Estamos em ano eleitoral. Se o requerimento da vereadora Nazaré fosse aprovado, eles iriam fazer disso um palanque. Não concordamos com essa prática e por isso vamos discutir a cessão do mercado de São Brás com responsabilidade”, disse.

A alternativa de revitalização do Complexo de São Brás pela prefeitura de Belém, em vez da cessão de uso para a iniciativa privada também foi motivo de discussão entre os vereadores.  Rildo Pessoa (Avante) avalia que é preciso ter em mente a viabilidade econômica do espaço.  “Precisamos saber o que funciona economicamente para a cidade. O mercado de São Brás tem essa viabilidade? esse questionamento precisa ser feito. Às vezes investir milhões em obras de revitalização não é a melhor opção. É preciso discutir quais os caminhos mais adequados para fortalecer o que já existe e o que pode ser melhorado. Temos exemplos em outras capitais do país como o mercado municipal de Fortaleza e as feiras itinerantes em São Paulo”, citou o vereador.

O vice-presidente da CMB, vereador Fabrício Gama (PMN) defende a proposta de cessão de uso do mercado de São Brás que, segundo ele, precisa ser conhecido antes de ser questionado. ” Está previsto que os atuais permissionários do mercado terão qualificação, acesso a financiamento e muitos deles vão poder ser contratados como funcionários. Vão ser investidos 60 milhões de reais do capital privado na reforma e adequação do espaço. Com isso o mercado de São Brás vai ser transformado num grande polo turístico de Belém”, afirmou.

Para o vereador Pablo Farah (Podemos) os trabalhadores do Complexo de São Brás têm todo o interesse em conhecer e discutir o assunto. “Vamos chamar os trabalhadores a essa casa e mostrar o projeto pra eles, mostrar o que muda com a cessão de uso para empresa privada. Tenho certeza que da feita que eles tiverem a visão de um espaço limpo, estilizado, eles mesmos vão aprovar “.

Moradora do bairro de São Brás, a vereadora Enfermeira Nazaré disse que apoia a luta para preservar o mercado de São Brás como bem público e patrimônio histórico de Belém. “Nosso temor é perder esse patrimônio. Outro ponto diz respeito aos trabalhadores. Fala-se em requalificar pessoas de 60,70 anos a essa altura da vida. E também não podemos esquecer o quanto uma obra de reforma e adequação pode durar”.

Você pode Gostar de:

Dia Municipal de Combate ao Feminicídio é incluído no calendário oficial de Belém

Vereador Fernando Carneiro (PSOL) durante o discurso na tribuna da CMB. Um projeto de lei …

Skip to content