Continuou em discussão, na manhã desta quarta feira, o projeto de lei do ex-vereador Raul Batista (PRB) que obriga a instalação de leitores de impressão digital na entrada das agencias bancárias. O transtorno que poderia causar aos usuários, em decorrência das filas que se formarão e da exposição a sol, chuva e assaltos, tem sido o principal argumento contra a proposta.

Mauro Freitas (PSDC) destacou que embora esteja tecnicamente correto, amparado por pareceres de três comissões técnicas da Casa, o projeto de Batista foge ao bom senso e caso executado acabaria prejudicando os usuários que seu autor tinha a intenção de ajudar. No conflito entre os bons objetivos da proposta e um previsível resultado negativo, segundo Freitas, os vereadores, principalmente os estreantes, estão dando uma demonstração notável de maturidade ao colocar o bem estar da população acima de tudo.

Também se pronunciaram sobre o projeto Amaury da APPD (PT), Adriano Coelho (PDT), Joaquim Campos (PMDB), Emerson Sampaio (PP), Marciel Manão (PEN), Sargento Silvano (PSD) e Fabrício Gama (PMN ). Todos manifestaram posição contrária ao projeto.