sexta-feira ,22 junho 2018
Home / Notícias / Marcha para Jesus é reconhecida como patrimônio imaterial de  Belém

Marcha para Jesus é reconhecida como patrimônio imaterial de  Belém

Marcha para Jesus em Belém. Fonte: Jader Paes / Diário do Pará

De autoria da vereadora Simone Kahwage (PRB), foi aprovado em sessão ordinária nesta terça-feira,27,  o projeto de lei que reconhece como patrimônio cultural de natureza imaterial do município de Belém o evento religioso conhecido como Marcha para Jesus, realizado anualmente pela Ordem de Ministros Evangélicos do Brasil (Omeb), com o objetivo de reunir os cristãos em um dia de celebração  e adoração a Deus.

A “Marcha para Jesus” é um evento internacional originado em Londres (Inglaterra) em 1987, com a intenção de tirar a Igreja de dentro de quatro paredes, manifestando sua presença na sociedade através da fé, promovendo a paz entre as famílias, governo e população. A proposta se espalhou pela Europa na década de 90, chegando ao Brasil no ano de 1993, quando mais de 350 mil pessoas percorreram as principais ruas de São Paulo, até o Vale do Anhangabaú. É um ato pacífico,  que busca demonstrar que a Igreja não é restrita aos templos, mas aberta a toda sociedade, além de unir as igrejas cristãs em um ato de expressão pública de fé, amor, agradecimento e exaltação do nome de Jesus Cristo. “Outro importante objetivo deste evento é oferecer a oportunidade única de viver um momento de comunhão entre adeptos de todas as denominações cristãs, sem discriminações ou dissensões. É a marcha por justiça social, por menos desigualdades, pela distribuição de renda mais justa, uma união entre as pessoas. É também um evento que permite expressar ao mundo a comunhão dos cristãos e também a fé em Jesus Cristo”, explica a vereadora Simone Kahwage.

Vereadora Simone Kahwage ,autora do projeto que reconhece a Marcha para Jesus como patrimônio de Belém.

Estudos demonstram que após a realização das marchas nas mais variadas cidades do Brasil, os índices de criminalidade e de uso de entorpecentes diminuíram significativamente, bem como o aumento expressivo de ações sociais como doações a entidades assistências realizadas pela população. O evento é voltado para a prática da oração e de passeatas com músicas e celebrações cristãs, com tolerância a todas as práticas religiosas. Para a vereadora, a instituição do Dia Municipal da Marcha para Jesus é uma grande conquista para a sociedade belenense, pois trata de  um projeto assistencial, e que impulsionará a conscientização cristã em torno de Jesus Cristo. “Além disso, o evento irá proporcionar a realização de diversas ações sociais nesta data, a exemplo de arrecadação de alimentos, agasalhos ou atendimentos necessários à comunidade”, conclui a vereadora.

Em 2009, um projeto de lei criado em 2007 pelo senador foi aprovado e se tornou a lei 12.025, instituindo o Dia Nacional da Marcha para Jesus. “Com a criação do Dia da Marcha para Jesus, o Congresso estará dando uma pronta resposta a uma vontade expressa de grande parte da sociedade, haja vista as comemorações relativas ao tema já terem o respaldo de leis municipais em dezenas de cidades brasileiras”, diz o texto do projeto.

 

 

 

Você pode Gostar de:

Moradores reivindicam agilização das obras do projeto de macrodrenagem do Tucunduba

  Acelerar a segunda etapa das obras e antecipar a licitação das obras da terceira …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *