quinta-feira ,5 dezembro 2019
Home / Notícias / Disciplina, interação e qualidade de vida oferecidas pelo jiu jitsu são reconhecidas pela CMB

Disciplina, interação e qualidade de vida oferecidas pelo jiu jitsu são reconhecidas pela CMB

Plenário durante a sessão especial proposta pela vereadora Simone Kahwage

Um encontro que reuniu atletas, professores de educação física, representantes de academias e amantes do jiu jitsu marcou a tarde desta quinta-feira, 30, na Câmara Municipal da Belém. A sessão especial, proposta pela vereadora Simone Kahwage (PRB), discutiu a prática do esporte na capital, políticas públicas voltadas para a modalidade, além de homenagear e valorizar a arte marcial japonesa amplamente difundida no Brasil e no mundo. A sessão iniciou com um minuto de silêncio pela morte do professor de jiu jitsu Rodrigo Melo, o Monstro, em abril deste ano.

Para Simone, muito mais que uma arte marcial, o jiu jitsu tem mudado a vida de muitas crianças e adolescentes em Belém.  Prova disso é o projeto criado pelo mandato “Gente da Gente”, no Telégrafo, que ensina o esporte para moradores do bairro. Simone também citou o projeto, já aprovado, que instituiu o Dia Municipal do Jiu Jitsu, anualmente comemorado no dia 19 de dezembro, e o projeto que reconhece a modalidade como patrimônio imaterial da capital. “Esse encontro visa fomentar campeonatos e apoio a atletas, além de reconhecer os profissionais que difundem a disciplina, interação social e a qualidade de vida, seja em projetos sociais, academias ou escolas”, afirmou.

O representante da academia Brasilian Jiu jitsu, Igor Sousa, falou em nome dos professores e atletas do esporte. Ele disse que se sente muito honrado em praticar e compartilhar o conhecimento com outras pessoas. “Todos sabemos o quanto o esporte é importante pro desenvolvimento e de crianças e adolescentes”. Gean Sousa, da academia G.S. Jiu Jitsu, afirmou que ainda existe muito preconceito relacionando a luta com a violência e disse que é preciso desmistificar isso. “Recebo alunos depressivos, com crise de ansiedade que hoje encontraram a cura no jiu jitsu. Temos que ser mais valorizados e reconhecidos. Vamos combater a violência e as drogas com esporte”.

O atleta, professor e coordenador de projetos sociais, Rodrigo Aleixo, destacou que a modalidade, além de um excelente exercicio fisico e técnico é uma forma de desenvolvimento moral, ético, e disciplinar de grande alcance social, com nova postura política, educacional e vários benefícios. “Dependendo do modo pedagógico repassado para os alunos, o que poderia ser só uma luta, passa a ser uma preparação para a vida. Vamos lutar para que as artes marciais estejam nas escolas com cunho educacional e comportamental, não competitivo”, disse Rodrigo.

O representante da Secretaria de Esporte e Lazer de Belém, Jorge Farias, destacou  enquanto gestor, a função de encorajar e incentivar o esporte e enfatizou que o jiu jitsu tem uma filosofia que veio para educar e ensinar a ter autoconfiança e viver em paz com a sociedade. Como professor de educação física, Jorge afirmou que trabalhou por anos em academias e conheceu professores de artes marciais. “Além de lutar, faz arte dos ensinamentos a disciplina e a correção da postura enquanto cidadão, para formar uma sociedade melhor. “É louvavel a atitude dos projetos sociais, de levar o esporte para as comunidades e para as escolas municipais. A Sejel oferece total apoio para que esses projetos possam crescer e se expandir na capital”, encerrou Jorge.

Você pode Gostar de:

CMB aprova orçamento para 2020

A Lei Orçamentária Anual para o ano de 2020 foi aprovada durante sessão extraordinária nesta …

Skip to content