sexta-feira ,4 dezembro 2020
Home / Notícias / Descarte irregular de entulho na capital é tema de debate na CMB

Descarte irregular de entulho na capital é tema de debate na CMB

Marciel Manão, autor do requerimento, durante a defesa da proposta na tribuna da CMB

O descarte irregular de entulho na capital foi tema de debate na Câmara Municipal de Belém durante mais uma sessão ordinária semipresencial. A discussão do requerimento de autoria do vereador Marciel Manão (Patriota) iniciou na terça-feira, 23, e a aprovação por maioria foi nesta quarta-feira, 24. A proposta solicitou a inserção nos anais da casa de uma reportagem do site oliberal.com do último dia 19 de junho que tratou sobre uma operação que apreendeu carroças utilizadas para despejo de lixo.

Marciel Manão demonstrou indignação com a conduta de alguns moradores de Belém. O vereador relatou que já presenciou o caminhão de coleta passar às 9h da noite e pela manhã já estava tudo sujo de novo. “Faço um apelo para que a população denuncie quem tem uma atitude dessa. Isso é crime. Parece até um complô contra a prefeitura que trabalha e não vê resultado nas ações porque as pessoas não têm consciência”.

Para Sargento Silvano (PSD) a luta pela questão do lixo existe há muitos anos. O parlamentar ressaltou que em Belém a coleta não é regular e em alguns lugares os caminhões nem conseguem entrar pela falta de saneamento. “Não existe um projeto sério de reciclagem”, enfatizou. Joaquim Campos (MDB) acrescentou que com a pandemia as pessoas aumentaram o consumo de lixo e isso tem causado muito transtorno para a população. “É geladeira, é fogão, diversos entulhos jogados na rua”.

Paulo Queiroz (MDB) atribuiu o problema a falta de educação e questionou quantas vezes a prefeitura faz a coleta e no dia seguinte já está tudo sujo novamente. Segundo ele, várias estratégias já foram usadas por diversos governantes, principalmente para minimizar consequências como os alagamentos. “A população precisa ter a consciência de que existe um calendário para coleta, inclusive pra retirada de entulho. É preciso que o poder público seja mais rigoroso nas punições”.

O Presidente da CMB, Mauro Freitas (PSDB), apresentou dados que apontam que, por mês, são retiradas 500 toneladas de lixo descartado irregularmente em Belém. De acordo com a Sesan, eram 600 pontos irregulares de descarte no últimos meses, mas com a atuação da Guarda Municipal, diminuiu para 250 pontos. Ele disse ainda que a PMB gasta 2 milhões de reais só pra fazer operações como a citada no requerimento. “Esse mês, a ordem pública apreendeu 150 carrinhos usados para o descarte irregular. É uma atitude criminosa que prejudica toda a população e precisa de punição”.   

Fernando Carneiro (PSOL) disse que muito mais do que criticar o problema é preciso encontrar uma solução para ele, como criar uma cooperativa. “Temos que encaminhar esse debate para a prefeitura para que as providências sejam tomadas”. Emerson Sampaio (PP) disse que foi contra o requerimento por achar que os carroceiros não podem ser criminalizados porque não recebem nenhuma orientação ou incentivo para não realizarem a prática e a capital não tem alternativa para a destinação do entulho. “Empurram carroça o dia todo para ganhar míseros 5 reais para sustentar a família. O poder público não pode transferir a responsabilidade para os carroceiros”.

A importância de educar as crianças de escolas públicas e particulares para criar consciência ambiental e para que elas possam ensinar os pais em casa foi uma estratégia citada pelo vereador Gleisson Silva (PSB). “É importante que elas saibam sobre o lixo reciclável, fazer a separação desse lixo. Não digo que essa educação é necessária só na periferia, mas pra quem tem poder aquisitivo também”.

Você pode Gostar de:

CMB aprova 76 projetos durante sessão ordinária

Em votação simbólica, por maioria de votos, setenta e seis projetos de lei, de resolução …

Skip to content