quinta-feira ,19 setembro 2019
Home / Notícias / Comissão Especial Parlamentar discute abusos da Celpa com Imetro e Arcon

Comissão Especial Parlamentar discute abusos da Celpa com Imetro e Arcon

Comissão Especial da CMB continua reunindo dados e informações para subsidiar estudos sobre irregularidades da Celpa.

A aferição dos medidores de energia elétrica e a fiscalização do Estado na prestação dos serviços prestados pela Celpa Equatorial no Pará, a partir das denúncias de irregularidades contra a empresa, estiveram em pauta na reunião que a Comissão Especial Parlamentar da Câmara Municipal de Belém realizou nesta segunda-feira,6, com representantes do Instituto de Metrologia do Pará (Imetropará) e Agência de Regulação e Controle de Serviços Públicos do Pará (Arcon).

A necessidade de verificar o funcionamento dos medidores surgiu de reclamações de usuários sobre o aumento exorbitante nas contas de luz cobradas pela Celpa, o que colocou em dúvida a precisão dos equipamentos, principalmente depois que o Sindicato dos Urbanitários, em reunião com a comissão, informou que a aferição regular dos medidores  é feita por amostragem.

Com mais essa reunião, a Comissão avança no levantamento de informações e sugestões para a audiência pública que a Câmara Municipal de Belém  vai realizar para, junto com a população, buscar soluções para os problemas  frequentes verificados entre os consumidores e a concessionária de energia.

O presidente da Comissão, vereador Toré Lima (PRB) disse que a próxima reunião será com técnicos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) oportunidade em que devem ser colocados na mesa de discussões a forma de tributação cobrada junto com o consumo de energia e o impacto no valor total das faturas.

Alta do gás

Na sessão ordinária desta terça-feira,7,  entrou  em votação o requerimento do vereador Fabrício Gama (PMN) solicitando inclusão nos Anais da CMB de matéria divulgada no jornal o Liberal  sobre o último aumento do gás de cozinha que elevou o preço do botijão para cerca de R$78 reais em média.

O requerimento estava em discussão desde a sessão de segunda-feira,6, e provocou a manifestação da maioria dos vereadores em torno do tema. Para o autor da proposição o reajuste de preços é reflexo tanto  crise na Venezuela, quanto da má gestão de governos anteriores ao do presidente Jair Bolsonaro . ” Ainda vivemos as consequências do estrago que os governos de Lula e Dilma fizeram na economia do País e agora do governo de um desequilibrado na Venezuela que repercute no comércio e consumo do petróleo e seus derivados”, afirma.

O posicionamento de Fabrício Gama dividiu opiniões entre os vereadores presentes.  Entre os divergentes esteve o vereador Fernando Carneiro (PSOL) que atribui ao governo Jair Bolsonaro não apenas o arrocho no bolso dos trabalhadores com os sucessivos aumentos nos preços como os prejuízos à educação, referindo-se aos cortes nos investimentos destinados às universidades federais.

Em apoio a Fabrício Gama, o vereador Elenilson Santos (Avante) falou sobre a questão da Petrobras no governo petista. ” Não podemos esquecer que o governo Lula entregou ao governo da Bolívia a refinaria de gás que a estatal tinha naquele país”.

A votação do requerimento deve ser concluída na sessão desta quarta-feira,8.

Você pode Gostar de:

Vereadores aprovam projetos do executivo em sessão extraordinária

Os vereadores de Belém aprovaram, em sessão extraordinária, nesta terça-feira, 17, dois projetos do executivo …

Skip to content