domingo ,19 maio 2019
Home / Notícias / Assistentes Sociais recebem homenagem na CMB

Assistentes Sociais recebem homenagem na CMB

Plenário Lameira Bittencourt durante a sessão especial

Anualmente, todo dia 15 de maio é comemorado o dia municipal do assistente social no calendário oficial do município. Nesta sexta-feira, 17, a Câmara Municipal de Belém lembrou essa data com uma sessão especial proposta pela vereadora Nazaré Lima (PSOL). “Hoje não é dia só de homenagem. É momento de discutir algumas mazelas que fazem parte do trabalho de vocês, como abuso de poder, jornada de trabalho, piso salarial, além da valorização da profissão e conquistas sociais”, afirmou a vereadora.

A parlamentar também destacou que esse momento festivo para a categoria é a oportunidade de reafirmar importância da profissão e o compromisso dos trabalhadores da área com a sociedade. Nazaré destacou que por anos, a profissão foi considerada apenas paternalista e assistencialista, mas hoje vem se transformando, seguindo a dinâmica e as necessidades da população. “O assistencialismo deu lugar para defesa dos direitos humanos e pensamento crítico para a construção de uma sociedade mais justa” disse Nazaré.

Em 2015, a Câmara Municipal de Belém aprovou uma lei, de autoria do vereador Dr. Chiquinho, que assegurava a obrigatoriedade de assistentes sociais nas escolas da capital. Durante o pronunciamento, o vereador falou sobre a indignação do não cumprimento da lei e destacou que até hoje não foram feitos concursos públicos ou houve valorização da categoria. “Já fomos até a justiça para que a lei fosse colocada a prática e reafirmamos a necessidade de ter o assistente nas escolas. Que a partir dessa sessão possamos criar uma comissão ampla para ir até a prefeitura lembrar a lei e pedir a efetivação dela”, falou Dr. Chiquinho.

Para a representante da Associação brasileira de ensino e pesquisa em serviço social, Vera Gomes, o momento de homenagem reconhece publicamente a importância da profissão e dá mais visibilidade aos trabalhadores. Ela também citou a árdua luta da categoria para uma formação de qualidade nas universidades públicas e privadas do estado. “Ao longo da história, a profissão tem assumido uma missão importante para as famílias. Em um país com tanta desigualdade precisamos aptos e interessados no planejamento, implementação, coordenação e avaliação de políticas e projetos sociais que ajudem a sociedade”.

A Presidente do Conselho Regional de Serviço Social, Maria Rocha, ressaltou a importância de materializar a lei municipal aprovada em 2015. Ela afirmou que não podemos culpar os professores e pais pela violência entre os adolescentes tanto dentro das escolas como na sociedade em geral. “Não vamos sossegar enquanto o prefeito não fizer um concurso público para colocar em prática essa lei. Temos que ter um profissional como o assistente social nas escolas para contribuir para a formação dessas crianças e adolescentes”, disse Maria.

Você pode Gostar de:

Sessão debate a inclusão do envelhecimento humano como conteúdo em diversos graus de ensino

Como lidar com o envelhecimento, ter qualidade de vida a partir dos 60 anos e …

Skip to content